by Mário de Andrade (1893 - 1945)

Viola quebrada
Language: Portuguese (Português) 
Available translation(s): ENG
Quando da brisa no açoite 
a frô da noite se curvô
Fui s'incontrá com a Maroca meu amô
Eu tive n'arma um choque duro 
quando ao muro
Já no escuro meu oiá andô 
buscando a cara dela e num achô.

Minha viola gemeu, meu coração estremeceu
Minha viola quebrou, teu coração me deixou.   Ah!

Minha Maroca arresorveu 
por gosto seu me abandoná
Porque os fadista nunca sabe trabaiá
Isso é bestêra que das frô 
que bria e chêra a noite intêra 
Vem apois as fruita que dá gosto saboreá.

Pur causa dela eu sou rapaiz muito capaiz de trabaiá
E os dia intero, e noite intêra a capiná
Eu sei carpi purquê minh'arma está arada
Arroteada capinada c'oas foiçada
dessa luis do teu oiá...

Authorship

Musical settings (art songs, Lieder, mélodies, (etc.), choral pieces, and other vocal works set to this text), listed by composer (not necessarily exhaustive)

Available translations, adaptations or excerpts, and transliterations (if applicable):

  • ENG English (Sarah Daughtrey) (Lucy Zollner) , title 1: "Broken guitar", copyright © 2017, (re)printed on this website with kind permission


Researcher for this text: Mirna Rubim

Text added to the website between May 1995 and September 2003.
Last modified: 2017-05-05 14:37:45
Line count: 20
Word count: 124