by António Sardinha (1887 - 1925)

O Motivo da Planície
Language: Portuguese (Português) 
Morte da Luz. Na forja do Poente
um lume em agonia ainda arde.
Entra a subir da Terra abertamente
a grande pastoral do fim da tarde.

E sobe, e alastra-se. Ao luar clemente,
as rãs e os sapos gemem com alarde.
Morreu a Luz. Na forja do Poente
o Lume agonizante já não arde.

Desfaz-se a lua em aspersões de graça.
E em notas sempre as mesmas, sempre irmãs,
passa a Planície, interpretando a Vida.

Passa o motivo da Planície, passa...
Passa na voz dos sapos e das rãs
o tema da Planície indefinida.

Authorship

Musical settings (art songs, Lieder, mélodies, (etc.), choral pieces, and other vocal works set to this text), listed by composer (not necessarily exhaustive)


Researcher for this text: Joost van der Linden [Guest Editor]

This text was added to the website: 2021-03-27
Line count: 14
Word count: 94