Cabocla malvada (Canção Regional)
Language: Portuguese (Portugu√™s) 
Quando a cabocla foi-se embora de malvada
O seu vulto pela estrada foi minguando, se apagou...
E, à proporção que ela sumia, desse jeito
bem no fundo do meu peito, a saudade se enroscou...
Dona Saudade me falava, coitadinha
Defendendo a caboclinha para eu não lhe querer mal...
E me dizia que a cabocla era só minha
Que esperasse, que ela vinha
Mais bonita e mais leal

Cabocla!
Eu já tinha te jurado
Meu punhal tinha marcado
O final dos dias teus...
Cabocla!
Toma bênção da saudade
Se não fosse a sua bondade
Nem eu sei, meu Deus!

Dona Saudade me alegrava e entristecia
Sempre quando ela me via
Com jeitinho de chorar...
Dizia logo, meu benzinho, homem não chora
Tua cabocla foi-se embora
Tua cabocla há de voltar
E ela voltou, minha cabocla, minha vida
Veio triste, arrependida
Implorando meu perdão...
Mal a saudade foi-se embora, fez das suas...
Certamente para as duas
Não chegava o coração.

Authorship

Musical settings (art songs, Lieder, mélodies, (etc.), choral pieces, and other vocal works set to this text), listed by composer (not necessarily exhaustive)


Researcher for this text: Emily Ezust [Administrator]

This text was added to the website: 2010-07-08
Line count: 29
Word count: 158